Reabilitação e reintrodução social

Reabilitação e reintrodução social. Além das terapias e medicações recomendadas para o tratamento de dependentes químicos, os pacientes precisam de outros suportes para lidar com a recuperação, como o apoio da família, a força de vontade e a aproximação com plantas, animais e ambientes abertos.

Para que você entenda a importância do contato com a natureza nos tratamentos para usuários de drogas, separamos este post com os principais pontos favorecidos por aproximar o dependente ao meio ambiente. Acompanhe!

Representa uma boa mudança de ambiente

Mudar de “ares” é, naturalmente, estimulante, não é mesmo? Para dependentes químicos, estar em locais abertos, com plantas e animais, onde é possível sentir diferentes texturas e aromas e apreciar as adversidades climáticas, são situações que acabam estimulado boas sensações, como a calma e o bem-estar.

Reduz o estresse e a ansiedade

É comum encontrar pacientes em reabilitação com transtornos psicológicos e sociais, como o estresse. O bem-estar ocasionado pelo contato com a natureza é capaz de deixar o paciente mais tranquilo e confortável.

Estudos evidenciam como o contato com a natureza melhora a saúde mental, algo muito importante para o processo de recuperação.

É um ótimo ambiente para a prática de atividades físicas

Ambientes abertos e em meio à natureza são convidativos para a prática de exercícios físicos. Praticar esportes em quadras a céu aberto, fazer alongamentos no jardim ou simplesmente correr no quarteirão, por exemplo, são atividades que podem ser incentivadas.

Além de cuidar da saúde, o exercício aproxima o indivíduo da natureza, aumenta a sensação prazerosa do treino e permite uma sensação de liberdade.

Propicia momentos de reflexão

Nada como apreciar a natureza para refletir! Estar em contato com o verde propicia momentos de reflexão, de organização de pensamentos e oportunidades para se autoconhecer. Refletir ajuda a ter a consciência da situação em que o paciente se encontra, fator importante para manter a calma, a paciência e a perseverança.

Contribui para a socialização

Atividades em locais abertos ou espaços de convivência em jardins também ajudam na socialização de quem está internado. A descontração e a sensação de relaxamento proporcionados pelas áreas externas incentivam trocas de experiências e conversas com quem está perto, estimulando o paciente a socializar em um ambiente mais neutro e tranquilo.

Possibilita a exposição ao sol e a absorção de vitaminas

A exposição ao sol é fundamental para que o organismo absorva vitaminas importantes, como a vitamina D. Essa vitamina, na verdade, é um hormônio e possui inúmeras funcionalidades, participando de processos metabólicos cruciais para manter o corpo saudável, como a melhora do sistema imunológico, fortalecimento de ossos e músculos, redução de inflamações e a prevenção de doenças.

Permite o manejo com a terra

Mexer com a terra de jardins e hortas é uma técnica que traz benefícios para pacientes que lutam contra a dependência química. Ao cuidar desses espaços e ter mais contato com a natureza, o indivíduo melhora a atividade motora e a memória, tem a criatividade estimulada e costuma se sentir mais motivado.

A hortoterapia é uma das técnicas mais aplicadas, com muitos estudos tendo evidenciado seus benefícios para a saúde. Não é à toa que o SUS (Sintema Único de Saúde) encara a prática como uma terapia integrativa aos tratamentos medicamentosos.

O contato com a natureza parece ser um critério secundário, mas ele deve ser considerado como um dos principais fatores para a recuperação da dependência química. Diante disso, fica evidente a importância de procurar profissionais e clinicas que ofereçam esse contato. Estruturas com ambientes amplos, jardins com boa incidência de sol, plantas, hortas e pomares fazem a diferença durante o tratamento.

E você, o que acha sobre o tratamento de dependentes químicos em meio à natureza? Deixe seu comentários e nos conte suas percepções sobre o assunto!

Reabilitação e reintrodução social

Reabilitação e reintrodução social, Reabilitação e reintrodução social , Reabilitação e reintrodução social , Reabilitação e reintrodução social

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *