Precisamos falar sobre tratamento para dependente químico a força! Muitos familiares deixam de procurar ajuda por não saber como a internação involuntária funciona e como ela é importante para a recuperação do usuário.

É fundamental ressaltar que quanto antes o tratamento de recuperação do uso de drogas é iniciado, os resultados serão mais rápidos e com retornos cada vez mais satisfatórios.

Se você tem dúvidas sobre como proceder em situações como essa, e até mesmo como identificar a necessidade da internação forçada, este post é para você. Confira abaixo as possibilidades e como o processo funciona!

O que é a intervenção forçada ou involuntária?

Também chamada de assistida, a internação involuntária (ou forçada) é feita sem o consentimento do usuário. Geralmente é realizada por orientação médica e destinada a pessoas que negam o vício e o tratamento.

Para dar andamento na internação com embasamento técnico, é necessário contar com um laudo médico que comprove risco de morte, risco a terceiros ou uso de substâncias químicas em excesso. No decorrer deste post falaremos mais sobre isso.

Quais são os sinais para optar pela internação à força?

Para identificar um caso no qual a internação involuntária seja necessária, existem algumas perguntas que precisam ser feitas. Os questionamentos, quando respondidos com afirmações, demonstram um quadro de tratamento para dependente químico à força.

Confira quais são as perguntas:

  • o dependente está respeitando as pessoas e os horários em casa?
  • está emagrecendo?
  • está fazendo algo de útil da vida, como estudar, trabalhar ou ajudar em casa?
  • esta usando drogas todos os dias ou, quando começa, não para mais?
  • está em más companhias?
  • já roubou fora ou dentro de casa?

Observe o dependente químico e fique atenta à sua rotina, interesses e vida social, pois são esses os fatores que demonstram que o abuso de drogas está acontecendo. Para responder os questionamentos é essencial estar próximo para identificar as respostas.

A internação involuntária é permitida por lei?

A legislação brasileira permite a internação contra a vontade própria do paciente de acordo com as leis 10.216/01 e 13.840/19. Assim, o familiar ou responsável pode solicitar a internação formalizada por escrito e confirmada em entrevistas ou consultas médicas.

A validação de um médico é essencial para que o tratamento do viciado em drogas seja feito sem o consentimento dele.

A lei ainda conta com algumas regras mais burocráticas e com a participação ativa do Ministério Público, instituição responsável por controlar as internações e assegurar que elas são realmente necessárias.

Como familiares podem ajudar na internação do usuário?

A família é o grupo de pessoas mais próximas do problema por conviverem com o usuário. Geralmente é dela que a solicitação de internação a força é feita. Para verificar a necessidade, é comum que médicos e clínicas especializadas entrevistem um parente de primeiro grau para averiguar o quadro de internação.

Além da família, a internação pode ser feita por determinação judicial, diante de um laudo médico que indique a necessidade do usuário em iniciar o tratamento, independente da sua vontade.

Ajudar um dependente químico é um ato de amor. Não é fácil, mas é importante desmistificar a internação involuntária para que o usuário tenha recursos para se recuperar o quanto antes.

Se você procura por tratamento para dependente químico a força, conte com a Clínica Êxodos. Entre em contato, tire suas dúvidas e auxilie quem precisa de ajuda!

Nosso site:

Nosso face:

telefone 24 horas: (11) 96474-1518

 

tratamento para dependente químico a força

Um comentário sobre “Tratamento para dependente químico a força: como é possível interferir e ajudar?”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *