Lidar com a negação do vício talvez seja uma das batalhas mais difíceis que qualquer pessoa pode travar. A princípio, aquele pequeno hábito parece inofensivo, mas ao longo do tempo ele aumenta cada vez mais a ponto de tomar conta de grande parte da vida do usuário.

A qualidade de vida daqueles que estão imersos em algum tipo de vício rapidamente decai, e o que parecia um costume inocente se torna uma necessidade cada vez maior e mais frequente para que a pessoa consiga seguir sua rotina.

Esse problema costuma acontecer com frequência entre pessoas que utilizam drogas leves e que não conseguem interromper seu uso. Os usuários de maconha, por exemplo, costumam relatar sinais semelhantes após alguns anos de utilização, e o problema costuma ser muito pior para aqueles que usam drogas sintéticas.

Apesar de ser uma situação desesperadora, é importante manter a calma e entender exatamente o que se passa com a pessoa que está começando a criar um quadro de dependência com alguma substância, sendo ela legal ou não.

Se você ficou interessado no tema e quer saber mais sobre a negação do vício, não deixe de ler este post até o fim!

O que é e como funciona o vício?

O vício, apesar do que muita gente pensa, não é somente um hábito. Ele aparenta ser desta forma porque trata-se da manifestação de um comportamento de maneira frequente, mas nunca podemos deixar de mencionar que existe uma relação de uso e necessidade de uma substância química, seja ela qual for.

Os alcoólatras costumam beber frequentemente e talvez sejam um ótimo exemplo para exemplificar um vício. Enquanto muitos de nós bebemos socialmente ou até mais de uma vez na semana, são poucos aqueles que realmente não conseguem se afastar do álcool.

A parte social ou da diversão torna-se intimamente relacionada com a substância, e em pouco tempo é possível notar que a pessoa não consegue mais ter um tempo livre sem abrir uma cerveja ou ingerir alguma bebida alcoólica. Assim, o que parecia um hábito se tornou uma falta de controle, e a melhor maneira de identificar um vício é tentando se abster dele por pelo menos duas semanas.

Os fumantes ou os viciados em medicamentos (muitas vezes os hipocondríacos) apresentam o mesmo comportamento e também não conseguem deixar as substâncias que fazem uso frequentemente.

Outro ponto que você deve saber é que o vício já configura uma dependência, seja ela química ou emocional. E dependência, normalmente, é um sinal de que o uso, hábito ou comportamento já passou de qualquer parâmetro de normalidade.

Quais os sinais do vício?

O primeiro sinal — e o mais importante deles — é a completa incapacidade de autocontrole. A pessoa não consegue deixar de beber aquela cerveja, fumar aquele cigarro ou tomar aquele medicamento anestésico, por exemplo.

No caso dos dependentes químicos, as substâncias normalmente são ilegais, e nesses casos, basta identificar a completa falta de domínio sobre a interrupção da utilização de qualquer tipo de droga.

Além da falta de autocontrole, o vício também pode vir acompanhado de problemas psicológicos e emocionais, além de sintomas físicos que podem ser relacionados com a crise de abstinência.

Tremores, depressão, ansiedade, dificuldade para dormir, mudanças no humor, dificuldade de concentração, problemas para se relacionar, entre outros fatores, podem ser observados de maneira clara e sem grande dificuldade.

Ao perceber qualquer um desses sinais (ou sintomas) em um ente querido, pode ser importante buscar uma conversa e tentar entender o que de fato acontece. Com sorte, a ajuda profissional pode aparecer antes da instauração de uma dependência completa.

O que é a negação do vício?

A negação do vício é a completa incapacidade de perceber ou admitir o problema do uso de drogas ou de qualquer outra substância. Essa normalmente é a primeira grande luta e etapa da recuperação de um indivíduo que luta contra as drogas ou outros tipos de vício.

A negação acontece por inúmeros tipos de problemas e varia de acordo com cada caso. Mas, em suma, ela pode ser caracterizada pela falta de capacidade do indivíduo em perceber a falta de controle com seu uso — mesmo que recreativo — de alguma substância.

Em algumas circunstâncias, essa falta de percepção acontece por resultado da alteração de consciência do indivíduo provocada pela própria substância, enquanto em outros casos ela é fruto de medo ou até mesmo da falta de vontade de querer interromper o uso da droga.

Este é o caso do alcoólatra, por exemplo, que alega poder parar de beber quando quiser, assim como do viciado em medicamentos, que sempre justifica o uso por uma suposta dor corporal, ou do usuário de drogas, que diz utilizá-las somente para aliviar o estresse e se divertir.

A negação do vício deve ser encarada como um problema e como um sinal de alerta, principalmente pelos familiares ou amigos próximos que percebem os primeiros sinais de dependência.

Como lidar com o vício e procurar ajuda profissional?

O primeiro passo para conseguir lidar com o vício é buscar sua aceitação. Em um primeiro momento, o dependente deve ser capaz de entender que sua vida não é mais a mesma e que o hábito que parecia inofensivo tornou-se um caso que necessita de intervenção profissional.

Em muitos casos, uma pessoa viciada só consegue perceber esse problema quando perde o emprego, relacionamentos, vínculos e o completo controle sobre sua capacidade de interromper o uso da substância.

Apesar disso, o foco deve estar sempre na realidade. Assim, é importante demonstrar a importância do tratamento e conscientizar o usuário, encorajando-o a aceitar a situação, uma vez que esse entendimento é capaz de libertar e até mesmo encorajar o indivíduo a procurar uma clínica de reabilitação.

Em muitos casos, os viciados passam por um profundo estigma social e, por conta disso, muitas vezes sentem medo e não desejam se tratar devido a questões sociais ou familiares.

Por isso, ressaltamos a importância de uma intervenção pacífica e baseada na conscientização. O encorajamento familiar é um importante alicerce na recuperação de um dependente químico, que quase sempre, precisa de muita ajuda para conseguir vencer seu vício.

Nós, da Clínica Êxodos, contamos com uma excelente gama de profissionais e estamos totalmente preparados para lidar com os mais variados casos de dependência química. Estamos à disposição e podemos ser uma importante ferramenta para levar o cuidado necessário ao seu familiar que é usuário de drogas e está em negação do vício.

Que tal entrar em contato conosco para conhecer nossos serviços? Basta acessar a nossa página ou nos contatar por nosso telefone ou e-mail!

Atendimento 24 horas: 11-96474-1518

Nosso face: 

negação do vício

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *