Diversas famílias vivem o drama de terem seus filhos envolvidos com drogas. Muitas vezes, precisam tomar medidas drásticas como escolher uma clínica de recuperação para meninas menores de idade. Com certeza, não é fácil ter essa atitude, porém, é imprescindível para salvar a vida da garota.

No entanto, nesse momento podem surgir inúmeras dúvidas de quais são as clínicas mais indicadas, como funciona e qual o tempo do tratamento, será que sua filha vai sofrer muito e tantos outros questionamentos são levantados.

Por isso, fizemos este artigo para tranquilizar você e dar as principais respostas que tanto necessita. Continue lendo o post e fique bem informado!

Como o uso de drogas impacta adolescentes e quais são os riscos para a vida deles?

Os adolescentes são uma preocupação tanto da família quanto da sociedade, principalmente quando se trata de drogas. Isso porque eles têm estado cada vez mais envolvidos em crimes e violência devido ao uso dos entorpecentes.

Para se ter uma dimensão desse número, o 3° Levantamento Nacional sobre o Uso de Drogas pela População Brasileira, da FioCruz, mostrou que 4,9 milhões de brasileiros usaram substâncias ilícitas. Desses, 7,4% eram jovens entre 18 e 24 anos.

Já conforme estudo do Ministério da Justiça, denominado Estimativa do Número de Usuários de Crack ou Similares nas capitais do País, 370 mil pessoas são usuárias de crack e outras drogas, sendo 14% menores de idade.

Portanto, os impactos negativos na vida deles podem até ser irrecuperáveis e incontroláveis, visto que há prejuízo social, familiar, emocional e psicológico. As substâncias psicoativas (álcool, maconha, LSD) alteram e danificam o desenvolvimento do cérebro nessa faixa etária.

Assim, modificam as funções neurotransmissoras que fazem a comunicação dos nervos, o que afeta o pensamento, raciocínio e consciência dos usuários, e pode se estender por toda a vida ao desenvolver doenças como transtornos físicos e mentais crônicos. Afinal, o cérebro humano está formado após os 24 anos.

Diante disso, é necessário realizar campanhas de conscientização sistematicamente, atendimento social para as famílias carentes, com o intuito de encontrar condições dignas de sobrevivência e evitarem o uso de entorpecentes. Sendo que, costumeiramente, o adolescente é influenciado por causa da sua classe social e fuga da realidade.

De que maneira funciona o processo de reabilitação em clínica para meninas menores de idade?

Ver a filha se drogando é muito doído, pensar, ainda, em interná-la pode ser desesperador. Contudo, saiba que existem clínicas de reabilitação especializadas em meninas que estão na adolescência.

Elas contam com médicos, enfermeiros, psicólogos, psiquiatras, terapeutas durante 24 horas, para tratar e cuidar dos jovens que estão em recuperação. Geralmente, situam-se em locais mais distantes para garantir a tranquilidade que o tratamento exige.

Dessa forma, para internar sua filha é necessário avaliar se será uma internação voluntária, involuntária ou compulsória. A primeira, a paciente aceita a ajuda e está aberta ao tratamento. Na segunda, os pais decidem por internar a adolescente e são responsáveis por buscá-la quando receber alta, e a última, a ordem é dada por um juiz perante um pedido da família. Assim, os procedimentos que serão realizados vão variar conforme o grau de dependência. Desse modo, veja a seguir como é o processo.

Desintoxicação

Essa fase é considerada a mais difícil e fundamental para o tratamento, pois a adolescente passará por uma série de exames laboratoriais com o intuito de que médico descubra como está sua saúde. Entrará em processo de abstinência com a finalidade de eliminar a droga que está no seu organismo. Inclusive, receberá medicamentos se realmente for preciso.

Na verdade, a desintoxicação ocorre de duas maneiras: com internação ou ambulatorial. Quando o caso está mais grave, é mais indicada a primeira opção para que a paciente tenha acompanhamento integral. Todavia, se a garota concorda com o procedimento, ele é feito no ambulatório de uma unidade de saúde.

Conscientização

Nessa fase, a paciente iniciará o tratamento com psicólogo e psiquiatra que vão auxiliá-la a reaver seus valores que a droga tirou. Com isso, aprenderá a refletir e encontrar outra maneira de viver sentindo outros prazeres.

Além disso, é essencial que ela frequente grupos de apoio, como os Alcoólicos Anônimos ou Narcóticos Anônimos. Se a menina está em início de consumo da substância ilícita essas instituições fazem a desintoxicação em ambulatórios e envia psicólogos a sua casa.

Reinserção social

Após esses processos, a paciente que ficou internada receberá ajuda de todos os componentes da clínica para retornar a uma vida nova, sem drogas. Sendo assim, ao enfrentar qualquer tipo de dificuldade, poderá voltar para buscar a segurança que precisa para continuar.

Quais devem ser os critérios mais importantes ao selecionar a clínica de reabilitação?

Antes de tomar qualquer decisão, faça uma pesquisa e avalie as clínicas de reabilitação que for procurar. Para isso, considere os critérios citados a seguir!

Reputação da clínica

Procure conhecer o trabalho da clínica, busque referências de algumas pessoas que já fizeram tratamento lá, o histórico dos profissionais envolvidos, se eles são renomados. Essas informações poderão demonstrar se o tratamento é promissor e contribuirá para a recuperação de sua filha. Ainda, verifique os valores para saber se pode arcar com eles.

Profissionais especializados

As clínicas de recuperação especializadas atuam com equipes multidisciplinares para cuidar dos dependentes químicos, conforme citado anteriormente. Dessa forma, informe-se sobre quais deles darão assistência a paciente e qual o tempo que estarão com ela, já que não poderá ficar longe dos seus cuidados. Avalie, também, a grade terapêutica que é primordial na recuperação.

Local seguro

Visite as clínicas que selecionou para fazer a internação da adolescente. Assim, poderá conferir a infraestrutura se é adequada, preparada para intervenções de emergência em caso de crises ou complicações no tratamento, por exemplo, com médico 24 horas, carrinho de parada cardíaca, farmácia com os medicamentos necessários, protocolos clínicos etc.

Atividades de reinserção

Do mesmo modo, considere as práticas alternativas que auxiliam na reabilitação da pessoa como terapia ocupacional, grupos de apoio, inserção social, atividades físicas entre outras. Afinal, a clínica deve oferecer um pós-atendimento para quando a adolescente sair da internação e retomar sua vida.

Enfim, sabemos que é um período delicado para toda a família. Entretanto, pense que a clínica de recuperação para meninas menores de idade é o local certo para que sua filha retome a vida dela com saúde e responsabilidade.

Infraestrutura

Além de todos os pontos anteriores, a infraestrutura também deve ser um critério importante no momento da sua escolha. Verifique se a clínica tem um local adequado, limpo e em boas condições para uma internação.

Ter equipamentos e estrutura para realizar tratamentos emergenciais é essencial para manutenção da saúde do dependente químico. Uma equipe com bons médicos (24 horas), equipe auxiliar, farmácia e com protocolos adequados são imprescindíveis para o sucesso do paciente que precisa se libertar da dependência química de maneira eficaz e pautada na ciência.

Observar por áreas de lazer (incluindo as atividades de reinserção que mencionamos acima) também é importante. Não devemos esquecer que além da luta física e emocional, o dependente também precisa ser reinserido em ambientes sociais de forma positiva.

Parte do seu sucesso pós-internação depende da sua capacidade e habilidade para lidar com o cotidiano de maneira segura. Portanto, deve-se considerar na infraestrutura todas as particularidades que facilitarão o bem-estar durante o tratamento e após ele.

Duração do Tratamento

Diferentemente do que a maioria das pessoas pensam, tratamentos para dependência química que são demasiadamente longos não são positivos para o paciente. É preciso análise profissional para determinar um protocolo adequado, mas, por via de regra, o ideal é ficar o menos tempo possível internado, e isso acontece por inúmeras razões.

A primeira delas é que o ambiente de uma clínica de reabilitação não é o mesmo de uma vida real. Lá, existem equipes e uma rotina adequada e totalmente estabelecida para evitar a recaída com as drogas, e, evidentemente, isso a longo prazo pode trazer malefícios, como uma espécie de dependência psicológica por parte do dependente.

Outro ponto que vale a pena ser mencionado é que, com o passar dos meses, tanto o paciente quanto os profissionais passam a desenvolver laços afetivos, sendo eles positivos ou negativos — ambos são prejudiciais para o tratamento.

O ideal é conseguir uma intervenção eficaz e de curto prazo para que o dependente consiga voltar a sua vida normal de maneira programada e previamente estipulada. Mesmo que aconteçam desvios durante o percurso, é preciso ter uma “data limite” ou um planejamento minimamente traçado para conseguir uma abordagem eficaz e produtiva.

Técnicas e medicamentos utilizados

Por mais que seja da vontade de muitos — e até mesmo do próprio dependente —, em muitas situações a interrupção completa e abrupta das drogas não é a melhor solução para resolver a dependência química.

Essa medida faz com que surjam sintomas, gerando o que nós conhecemos como crise de abstinência. Em muitos casos, essa crise gera incapacidade completa do indivíduo resistir os sintomas (extremamente desagradáveis e que causam dor física e emocional) e faz com que ele seja “forçado” a utilizar a substância de sua escolha para permanecer minimamente funcional.

Esse padrão que se retroalimenta, para nós, que estamos de fora, é percebido como “falta de vontade” ou de “coragem” por parte do dependente, enquanto, na verdade, é literalmente uma necessidade de sobrevivência.

Sabendo disso, existem inúmeras técnicas e protocolos que solucionam esse problema de maneira adequada e com menor “trauma” para o bem-estar emocional e físico. Uma delas é a diminuição gradativa da utilização de substâncias próximas às drogas convencionais.

Perguntar e saber sobre esses medicamentos e técnicas — principalmente as mais adequadas para o paciente — é imprescindível para dar um bom pontapé inicial na recuperação total das drogas.

Importante mencionar que todos esses pontos devem ser vistos e questionados de maneira prévia a internação. Atente para todos esses detalhes que certamente o tratamento terá maior possibilidade de sucesso.

Se precisar procurar uma clínica de reabilitação, convido você a conhecer a Clínica Êxodos. Pois, ela tem uma equipe especializada no tratamento e recuperação de dependentes químicos.

Nosso face: 

Atendimento 24 horas: 11-964741518

 

clínica de recuperação para meninas menores de idade

clínica de recuperação para meninas menores de idade
clínica de recuperação para meninas menores de idade, clínica de recuperação para meninas menores de idade, clínica de recuperação para meninas menores de idade, clínica de recuperação para meninas menores de idade, clínica de recuperação para meninas menores de idade, clínica de recuperação para meninas menores de idade, clínica de recuperação para meninas menores de idade

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *