Conviver com o vício da dependência química é lidar com grandes batalhas todos os dias. Muitas vezes, o desejo pelo consumo é maior que a vontade de parar. No período de abstinência de drogas, o dependente fica ainda mais fragilizado.

No entanto, é importante ressaltar que estando em tratamento com profissionais qualificados e em uma clínica de reabilitação, pequenas atitudes ajudam a superar os efeitos psicológicos e fisiológicos da falta do entorpecente.

Se você é dependente químico ou tem um familiar e amigo nessa condição, leia o artigo para entender o que é abstinência de drogas, quais os sintomas e o que fazer para lidar melhor com a situação!

O que é abstinência de drogas?

A abstinência de drogas é a privação do uso de maconha, cocaína, LSD, bebida alcoólica, entre outras substâncias. Essa ausência provoca diversas reações físicas e psíquicas que geram mal-estar. Os sintomas, porém, mudam conforme o paciente e as drogas utilizadas.

Mesmo que seja em pequenas quantidades, as drogas têm forte efeito no organismo dos usuários. Quando o dependente inala alguma substância, ela é logo absorvida pelas células pulmonares e vai para a corrente sanguínea e o cérebro, gerando sensação de bem-estar e prazer.

Por esse motivo, eles usam tais substâncias constantemente para manter a leveza e a felicidade que elas proporcionam provisoriamente. Com as drogas de uso oral, as sensações são bem parecidas, já que elas também atingem as áreas cerebrais.

No entanto, o consumo de entorpecentes aumentam os riscos de desenvolver várias doenças mentais e físicas. A depender da gravidade, elas podem levar a pessoa a cometer suicídio.

As enfermidades vão desde um derrame cerebral e problemas respiratórios e cardiovasculares ao comprometimento das funções psicomotoras, à síndrome de pânico e à depressão, por exemplo. O efeito das drogas interfere na vitalidade e provoca inúmeras complicações, sendo irreversível em alguns casos.

Quais são os sintomas nas primeiras horas?

Os dependentes químicos sofrem bastante durante a abstinência de drogas. A ausência do álcool, por exemplo, leva a insônia, depressão, tremores, náuseas, vômitos e dificuldade para se alimentar.

Em pacientes mais graves, pode provocar convulsão e sensação de perseguição. Quando o quadro agrava ainda mais, causa confusão mental, alucinações e febre. Tais sintomas duram de uma a duas semanas.

Já os sinais de abstinência do crack duram bem mais — em média, dez semanas. Nos primeiros dias, o dependente sente-se cansado, desestimulado, sem apetite e com alterações de humor.

Se entrar em processo de abstinência sem medicação ou internação, o paciente pode sentir depressão, além de sofrer alteração no sono e falta de estímulo. Porém, ao chegar perto da décima semana, os sintomas vão desaparecendo. Isso mostra que o corpo está se recuperando.

No caso da cocaína, a ausência da droga provoca sensação de magnificência, euforia, prazer e excitação sexual. Por outro lado, a privação de maconha e LSD resulta em falta de estímulo e desinteresse, algo parecido com o estado de depressão.

Já quando o paciente começa o tratamento para dependência química, são observados os seguintes sintomas nas 12 primeiras horas:

  • ansiedade;
  • procura pela droga;
  • olhos lacrimejantes;
  • coriza intensa;
  • bocejos persistentes;
  • suor excessivo;
  • fraqueza em todo o corpo;
  • dilatação das pupilas;
  • tremores musculares;
  • arrepios e sensação de frio e calor;
  • dores no corpo.

Entenda, agora, quais os efeitos da abstinência de drogas à medida que o tempo passa!

4 horas sem drogas

Ansiedade, agitação, busca pela droga ou algo que traga a mesma sensação.

8 horas sem drogas

Além de ansiedade e procura pela droga, os sinais englobam o lacrimejamento dos olhos, a coriza intensa, os bocejos constantes e o suor, de moderado a excessivo.

12 horas sem drogas

São observados todos os sintomas já citados mais fraqueza intensa, dilatação das pupilas, tremores musculares, arrepios, sensação de frio e calor e dores no corpo.

Como lidar melhor com a abstinência?

Além do tratamento médico, o paciente precisa ter sua atenção direcionada para atividades produtivas, que tragam benefícios para a sua saúde física, emocional e espiritual. Veja, abaixo, algumas práticas que auxiliam na recuperação!

Caminhadas

A atividade física é benéfica para o corpo, pois melhora o metabolismo e a disposição. Além disso, ela auxilia no processo de abstinência de drogas, funcionando como uma válvula de escape para a superação da dependência química.

A caminhada, por exemplo, pode ser uma oportunidade para entrar em contato com a natureza e estreitar laços sociais com novas pessoas. Assim, o indivíduo passa a focar sua atenção em outros interesses, em vez de pensar no vício.

Voluntariado

A máxima de que é dando que se recebe é verdadeira quando pensamos nas ações de voluntariado. Afinal, sentir-se útil é ter o retorno do bem que se faz. Logo, procure uma instituição ou uma atividade que faça você se sentir bem.

A dica é identificar quais áreas despertam mais o seu interesse, como cuidar de crianças ou animais, fazer trabalhos manuais, ajudar moradores de rua, participar de hortas coletivas, entre tantas outras. Essa é uma grande oportunidade para crescer e obter novas experiências.

Meditação

Quando os pensamentos estão confusos, distraídos e agitados, a meditação é um remédio natural para trazer a paz interior. Com ela, é possível reduzir a ansiedade, evitar conflitos nas relações, superar as dificuldades e as frustrações. Aliás, para quem se encontra em um quadro de abstinência, ela é bastante indicada.

Afinal de contas, a meditação provoca reflexos positivos internos e externos nos pacientes, gerando mudanças de comportamento e pensamentos. Assim, ajuda a controlar a falta das drogas e a vontade de se manter longe delas.

Hobby

Para equilibrar as experiências ruins que os entorpecentes provocam, é importante descobrir uma atividade prazerosa. Estamos falando de um hobby ou um passatempo que traga alegria e motivação.

Pintar, ler, escrever, dançar, aprender um idioma, praticar esportes, fazer teatro e aulas de canto são alguns exemplos. O importante é sentir-se confortável e ter vontade de repetir a tarefa constantemente.

A abstinência de drogas pode dar origem a doenças de fundo emocional e físico, que devem ser tratadas de forma intensiva. Aliás, ambas exigem avaliação médica e a utilização de medicamentos para que o quadro evolua para uma melhora. Além disso, é importante investir em atividades que auxiliem o retorno do dependente à sociedade de maneira rápida e segura.

As informações deste artigo foram úteis e importantes? Beneficie outras pessoas compartilhando-o em suas redes sociais já!

4 respostas a “O que pode acontecer durante a abstinência de drogas? Veja!”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *